10 Times que Mais Devem no Brasil em 2023 Atualizado

96bet

96bet

bcgame

apostareal

cornerprobet


Hoje vamos fazer uma lista com os 10 times que mais devem no Brasil em 2023, o que sempre gera polêmicas e indignação.

Isso porque no Brasil geralmente o que ocorre é que as dívidas são vistas essencialmente como algo ruim.

Mas isso não é necessariamente uma verdade já que pode ser feita uma gestão das dívidas saudável e que permita aos clubes disputarem títulos e manter seus pagamentos em dia.

10 Times que Mais Devem no Brasil em 2023 Atualizado


Obviamente isso não deve ser confundido com o que é feito em alguns clubes onde não pagar as contas é um método de gestão.

Que chega a ser até vergonhoso por exemplo quando não se pagam pequenos fornecedores e trabalhadores honestos por seu trabalho, enquanto se investem milhões em contratações de jogadores badalados.

Outra coisa importante de se entender é que um clube pode sim ter um endividamento, desde que respeitando suas receitas.

Ou seja quando o clube tem um faturamento que permita ter um controle das dívidas.

É isso o que acontece com vários times europeus que tem dívidas altas, mas conseguem gerenciar seus pagamentos da maneira correta.

1. Atlético-MG (R$ 2 bilhões)


O Galo lidera a nossa lista e isso não é à toa.

É bem verdade que o time foi campeão brasileiro e da Copa do Brasil em 2021, em meio a uma temporada mágica, mas trazer nomes como Hulk, Keno, Diego Costa, Nacho Fernandez e vários outros tem um alto custo.

Não só isso mas seguidos empréstimos com empresários ligados ao clube e gastos com o novo estádio (que somam mais de R$440 milhões).

Tem pesado muito nas contas de um time que cada vez mais sente o peso econômico refletindo na equipe.

2. Corinthians (R$ 1.5 bilhão)


O Corinthians é outro time que tem uma dívida altíssima resultando de anos de péssimas administrações financeiras.

Desse montante total cerca de 600 milhões são pela NeoQuímica Arena, um estádio que ficou anos sem naming rights, o que além de piorar a situação financeira do clube, bloqueava as receitas com ingressos.

É bem verdade que esse problema foi contornado, mas isso não alterou profundamente a realidade do clube.

De fato em 2020 (quando o presidente Duílio Monteiro assumiu) o time tinha uma dívida de 957 milhões, e hoje esse montante está em 910 milhões, sem contar os gastos com o estádio.

Um resultado não muito animador para o torcedor, que é obrigado a aguentar times mal montados e cada vez mais caros.

3. Cruzeiro (R$ 800 milhões)


A situação do Cruzeiro ainda não é boa, mas já melhorou bastante em relação aos anos anteriores.

Isso porque o clube foi comprado por uma SAF liderada por Ronaldo, o ex-jogador que é também um dos maiores atacantes da história.

O agora mandatário tem um trabalho de longo prazo para diminuir dívidas e trazer o clube para uma situação financeira saudável e que possa retomar os melhores momentos da Raposa.

4. Vasco (R$ 715 milhões)


Semelhante ao Cruzeiro, o Vasco tem hoje uma SAF que é responsável pela gestão do futebol, mas que vem sofrendo críticas constantes.

E mesmo trabalhando para diminuir a dívida enquanto busca montar um elenco minimamente competitivo, as notícias de não pagamento de contas seguem pipocando em São Januário.

Assim é difícil saber qual direcionamento o Vasco terá nos próximos anos, embora algumas melhorias já venham sendo feitas.

5. São Paulo (R$ 689 milhões)


O São Paulo é outro time que vem sofrendo com gestões cada vez mais errantes e que penalizam o torcedor.

Se preocupando mais em trazer alguns jogadores que agradem à torcida do que em fazer uma gestão que permita ao clube ter uma situação mais tranquila no futuro.

É um cenário bastante diferente do que o torcedor do tricolor esteve acostumado nos anos 90 e 2000, quando empilhava taças e era considerado modelo de gestão para os outros clubes do Brasil.

6. Botafogo (R$ 614 milhões)


O Botafogo por muito tempo era um grande exemplo de como não se administrar um clube de futebol.

De fato o último grande título da equipe carioca é o brasileiro de 1995, que já aconteceu há um longo tempo.

Neste período o time teve três rebaixamentos que colocaram o clube numa situação muito perigosa.

Mas o investidor americano John Textor comprou o clube e sua SAF tem sido um bom exemplo de recuperação de um clube.

Assim embora o Botafogo tenha ainda um longo trabalho pela frente, o futuro parece mais promissor do que era há tempos atrás.

7. Fluminense (R$ 612 milhões)


De maneira semelhante ao Botafogo, o Fluminense não tem uma das maiores torcidas do país (apesar de ser ainda uma grande torcida).

O time chegou até mesmo a cair para a terceira divisão em 1998, mas após isso a equipe estabeleceu uma parceria com a Unimed, que aos poucos reergueu o clube a ponto de chegar aos títulos brasileiros de 2010 e 2012.

Porém após isso a Unimed acabou a parceria com o tricolor, que apesar de não ter sido novamente rebaixado, sofreu um pouco para se readequar à nova realidade.

Embora essa dívida ainda não seja tão baixa para os padrões do clube, a equipe tem conseguido fazer um gerenciamento de contas enquanto mantém um time relativamente competitivo.

8. Internacional (R$ 604 milhões)


O Inter tem sofrido alguns solavancos após uma grande década nos anos 2000, tendo chegado ao fundo do poço em 2016, quando foi rebaixado.

A equipe colorada ainda não tem um gerenciamento de dívida que pode ser considerado exemplo, as contas do Inter não chegam a ser assustadoras.

Mas inspiram atenção de um clube que já experimentou um pouco do pior que o futebol brasileiro pode oferecer.

9. Athletico-PR (R$ 601 milhões)


O Furacão é comandado por Mauro Celso Petraglia há muitos anos e com uma administração bastante centralizadora.

Mas que merece crédito já que trouxe títulos como o do campeonato brasileiro, copa do Brasil e Sul-Americana.

De fato a dívida do Athletico não é baixa para os padrões do clube, mas o clube revela jogadores regularmente e isso permite gerenciar as contas de maneira eficiente.

10. Red Bull Bragantino (R$ 526 milhões)


Se olharmos para a dívida do Bragantino, poderíamos dizer que o clube está seriamente em risco, mas isso não é exatamente uma verdade.

Como podemos ver pelo nome, hoje o clube é propriedade da Red Bull, o que garante não apenas uma boa gestão financeira, mas também a continuidade do time.

Além disso é uma prática da Red Bull em seus vários times ao redor do globo ter um investimento na base, que prioriza a revelação de jovens talentos.

A empresa também tem mantido um time bem competitivo para os padrões que o Bragantino costumava ter, mantendo a equipe na Série A do Brasil e até mesmo disputando competições internacionais.

Desse modo chegamos ao fim do nosso top 10 times que mais devem no Brasil em 2023.


96bet

96bet

bcgame

apostareal

cornerprobet